Atrás de torcida no segundo jogo da final, Cruzeiro se reúne com MP

Na tarde desta quinta-feira, dirigentes do Cruzeiro se reuniram com a Polícia Militar de Minas Gerais e com o Ministério Público para tentar liberar a presença de cruzeirenses no segundo jogo da final do Campeonato Mineiro, no próximo dia 07/05, no Independência. 


Inicialmente, por uma decisão da PMMG, o Horto estava proibido de sediar 'grandes' jogos, por questões de segurança. A Raposa, tenta, porém, convencer que o órgão volte atrás e libere a torcida. 

Bruno Vicintin, Vice-Presidente de Futebol do Cruzeiro, Fabiano de Oliveira Costa,  diretor jurídico, e Marcone Barbosa, diretor de Marketing da Raposa, se reuniram com Paulo de Tarso Morais Filho, na 14ª Promotoria de Defesa do Consumidor, no Barro Preto, Região Centro-Sul de Belo Horizonte.

Na última segunda-feira, em reunião na FMF, Cruzeiro e Atlético optaram por mandarem seus jogos com 90% de torcida mandante e outros 10% de torcida visitante. Como o estádio que o Galo manda seus jogos está 'punido', há esse impasse. 

Apesar de nenhuma sinalização quanto à decisão da PM, Vicintin agradeceu ao Ministério Público por acatar o pedido cruzeirense. 

 "Queria agradecer ao Ministério Público de Minas Gerais. A gente pediu ontem uma reunião com o Ministério Público, uma com o comando geral da Polícia Militar e uma com o governador do estado. A gente sabe da urgência do pedido, e como as agendas são cheias dessas autoridades, o MP foi o primeiro órgão a atender o Cruzeiro Esporte Clube. A gente passou para ele a questão de que o Cruzeiro está lutando não por mudar decisão do nosso rival, nem nada",afirmou. 

 "Estamos lutando pelo direito do nosso torcedor de assistir à final. Respeitamos demais a Polícia Militar do Estado de Minas Gerais, respeitamos demais a segurança, pedimos ao nosso torcedor para nesse domingo nos apoiar os 90 minutos, vai ser um jogo muito difícil, mas ir em paz, a gente precisa do torcedor apoiando a gente. Agora, afirmar ao torcedor que a gente está lutando para garantir o direito dele de assistir a grande final, que é um dos maiores eventos do estado de Minas Gerais", completou. 

Informações do Lancepress 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + 12 =