FELIPÃO FAZ HISTÓRIA E SEPULTA O MARACANAZO

Depois de toda a truculência e de mostrar a segunda família Scolari sem qualidade Felipão levou 7 a 1 e com direito a muito olé mineiro.

Por Beto Vasconcellos

É muito difícil falar de algo que o resultado mostra e por si só falou tudo 7 a 1 e uma torcida desesperada com direito a vaias, olés e até ovações ao adversário. Esse lastro de resultado poderia ter sido considerado pouco para uma seleção desmotivada que já entrou em campo derrotada. Com 30 minutos de partida já estava 4 a 0 para a Alemanha.  Talvez um prêmio de consolação foi não ter levado mais.

O Brasil já entrou errado desde o início do jogo. Através da grande imprensa imortalizou-se as perdas Neymar e Tiago Silva e passou-se a contar o resto da Família Scolari. Sim, porque o Felipão resolveu levar para a Copa a sua família, em vez de levar jogadores agudos e de solução. Do meio para frente a Seleção Canarinho era uma incógnita. E do meio para trás foi um fiasco só.

 

Brasil e Alemanha 3

Durante a semana, desde que o Brasil passou pela perda de seus jogadores, os brasileiros, entre imprensa, artistas e populares, passaram a discutir a escalação mais provável que Luiz Felipe Scolari poderia colocar em campo. Chegaram a cogitar que colocando Dante, por ser parceiro de equipe de quatro jogadores alemães, o zagueiro do Brasil não deixaria os colegas jogar. Também disseram que conhecendo o técnico brasileiro, imaginavam um meio campo todo congestionado. Por fim, a polêmica do jogador para substituir Neymar. Eu acho que o Brasil perderia igual, mesmo com Neymar em campo, mas todos sabem que não tinha ninguém para fazer o que ele faz. Pra completar, sequer Felipão mexeu no esquema.

Não bastassem as faces atônitas de todos os torcedores do Mineirão, Scolari ficou assistindo, quando ainda estava 3 a 0 e sequer mexeu no time. As reações começaram a acontecer ao natural e de todos os tipos e não pararam mais, durante todo o jogo.

É o fim de uma geração de jogadores que venceram em seus times e que trabalham na Europa, mas que provavelmente não voltam mais à Seleção. Felipão, que deu o penta no Japão e na Coréia, provavelmente entregue os pontos e se aposente. Desde o Chelsea, que ele não faz mais nada de bom pelo Futebol. Seu último feito positivo foi ter levado a Seleção portuguesa aos quarto lugar em 2006, mas com essa, fica para a história com o maior fiasco de todos os tempos para o Brasil, apagando, inclusive, o fiasco do Maracanazo. Nós agora estamos diante do Minerazzo. Com isso, vão começar a surgir dúvidas sobre as reais e atuais condições de Felipão no comando. Estaria ele ultrapassado?

Mesmo sabendo que certos jogadores, como Davi, Oscar, Tiago e alguns outros poucos, não mereciam isso, acho que todos precisam passar por isso, pois é um processo que é cumulativo. O Felipão e seus comandados de 2014 entram para história juntos com esse resultado e com o fiasco que apagou o fiasco do Maracanã de 1950 e acende um novo marco negativo da história. Essa é a Copa da Dilma, a Copa das Copas. Isso também imortaliza-se.   

 

Por fim, o povo sempre tem razão. Se já não bastassem as vaias para a Seleção Scolari e os brados a favor da Alemanha, de Joachim Loew, as torcida todas, uniram-se no Mineirão, com um enorme brado de Olé, para assinar a decepção. Parabéns à Alemanha, que quebrou recordes e ainda voltou para a final, depois depois de 12 anos. Eles trabalharam muito para serem campeões, aqui no Brasil. Agora só um acidente evita isso.     

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

1 + nove =